Susana and Martim talk about Lisbon

Study the transcript of this episode as a lesson on LingQ, saving the words and phrases you don’t know to your database. Here it is!

Susana: Olá, bem-vindos a mais um podcast do LingQ.

Este é o de língua Portuguesa.

O meu nome é Susana, vou estar a substituir o Mairo nos próximos tempos, uma vez que ele anda um bocado atarefado com as aulas e com a faculdade.

Eu também estou na faculdade, estou a estudar jornalismo e hoje tenho comigo o Martim.

O Martim está a estudar electrotécnica, engenharia electrotécnica no instituto superior técnico, somos os dois de Lisboa, moramos nos arredores e hoje vamo-vos falar de Lisboa, a capital de Portugal.

Tenho o Martim comigo, em especial, por ele ter vivido em criança no Bairro Alto.

Com quantos anos é que moraste no Bairro Alto?

Martim: Sim, eu morei no bairro alto dos… desde que nasci até aos cinco anos, mais ou menos, com os meus pais.

E a minha casa era no inicio do bairro alto, na rua das gáveas.

S: O Bairro Alto é um dos pontos emblemáticos da cidade de Lisboa, em primeiro lugar porque, pela sua, pelas características das ruas e das casas.

As ruas são estreitas, o chão é feito de calçada portuguesa.

São prédios de dois, três andares, coloridos, alguns até pintados pelas pessoas que agora gostam de fazer grafitis nas paredes.

Mas o mais especial do bairro alto é o seu lado bairrista.

Já há alguns anos o bairro alto começou por ser um sítio de fado, onde as pessoas iam cantar fado.

As pessoas saiam do trabalho, principalmente quem em Lisboa e iam para o bairro alto cantar, cantar fado, tocar guitarra, beber um vinho… E também… O bairro alto também começou a ganhar esta vida de noite devido aos jornais, porque muitos jornais se situaram no bairro alto e como eram matutinos, isto é, como saiam de manhã, o trabalho, a vida nocturna do bairro alto começou a desenvolver-se muito por causa disso.

Pronto, mas, em suma, o bairro alto é conhecido principalmente pela noite.

E mesmo hoje em dia apesar de já não haver tantas casas de fado e de não haver tantas pessoas que cantem fado no bairro alto, essas casas foram sendo substituídas por bares e em vez de irem pessoas mais velhas cantar fado e ouvir fado, vão para lá agora os jovens.

M: Sim, agora o bairro alto é muito conhecido pela noite é pelos jovens.

Eles enchem os bares, há uns bares pequenos, com bebida barata.

Eles vão para lá e ficam a beber cá fora e a conversar na rua, porque o trânsito é proibido nesse bairro.

E pronto, as pessoas gostam de ir para lá.

S: as pessoas gostam de ir para lá principalmente também porque não precisam de estar fechados num bar, como o Martim disse.

O transito é proibido, no bairro alto.

Foi uma medida que foi tomada por iniciativa dos moradores – proibir o transito nas ruas do bairro alto.

E principalmente no verão é muito agradável estar com um copo de cerveja na mão, e muito comum!, cir para a rua, sentar-se no… as pessoas sentam-se no passeio e ficam a conversar e a beber até às quatro, cinco da manhã que é quando fecham os bares.

O bairro alto por ser muito conehcido pela noite também tem muitos dos problemas que a noite traz.

M: Sim, aliás foi por isso que os meus pais quiseram, que os meus pais quiseram sair do bairro alto.

É porque à noite há muita confusão, como há muita gente que vai para o bairro alto que faz muito barulho, não se consegue dormir, às vezes as pessoas ficam bêbadas e não dão um bom ambiente, nem um bom sentimento de segurança.

Também foi por isso que os meus pais quiseram sair do centro de Lisboa: para fugir à confusão.

S: Mas continuas a querer morar em Lisboa?

Espera, antes disso: antes disso, nós não falámos disso e acho que era importante é que as casas no bairro alto são prédios de dois, três andares.

Os andares térreos é que são bares e restaurantes, os de cima costumam ser habitação própria, individual e muitas das pessoas que lá vivem já são de uma, com uma certa idade, não é?

Tipo, quarenta, cinquenta, sessenta anos: que já não estão com paciência para aturar miúdos com bebedeiras durante a noite.

M: Sim, mas também há alguns jovens que começam a comprar casa no bairro alto, para aproveitarem melhor a noite e é só descer as escadas e ficam lá à porta da confusão e da noite.

S: Sim.

Mas os teus pais saíram de Lisboa para Oeiras, que é um dos subúrbios da cidade, mas tu continuas a querer morar em Lisboa

M: Sim, eu gostava, depois quando acabasse… quando acabar o curso, gostava de ir morar para Lisboa outra vez.

Talvez em Alfama que é outro bairro do género do Bairro alto, portanto bastante típico e numa colina, mas que ainda não está tão explorado pelos bares e pelas empresas da noite.

S: Pronto, a Alfama, a zona da Alfama, também é um bairro lisboeta, numa das colinas de Lisboa, porque Lisboa tem sete colinas.

Alfama é perto da sé, que é uma das igrejas mais emblemáticas da cidade, e é conhecida também por, pelo seu lado bairrista: todas as pessoas se conhecem, vê-se roupa estendida nos prédios e uma das coisas de que eu mais gosto em Alfama é de um dos miradouros.

Agora não me lembro do nome.

M: Acho que é miradouro de Santa Luzia.

S: Miradouro de Santa Luzia, que tem uma vista sobre o rio Tejo e até está um bocado velho, mas acho que é um miradouro e um lugar muito bonito para se passear.

Eu também gostava de morar em Alfama, mas também gostava de morar na Lapa ou no príncipe real, até porque tem uns jardins bonitos e porque também é uma zona bastante característica da cidade.

M: Sim, a Lapa é uma zona um bocado diferente destas que falámos.

É uma zona rica, com… onde vivem pessoas ricas também.

As casas lá valem quase o triplo das casas do bairro alto.

Nessa zona há assim um jardim muito conhecido, que é o Jardim da Estrela.

Há muitos, as pessoas costumam ir passear muito para esse jardim.

Há muitos idosos lá a conversar, namorados.

Há lá um café onde os estudantes vão estudar.

Pronto, tem um bom ambiente e está perto, está no centro da cidade quase.

S: Sim, a verdade é que tanto eu como o Martim, por morarmos nos arredores de Lisboa, também nos sentimos muito atraídos pela cidade e gostávamos de morar no centro, porque ir para Lisboa todos os dias dos subúrbios é muito stressante, demoramos muito tempo e estar no centro da cidade dá-nos outra mobilidade.

M: Pois.

Sim, vir para Lisboa todos os dias é bastante cansativo.

Eu fico, pronto, fico quase uma hora em transportes para ir de minha casa até qualquer sítio de Lisboa.

Demoro sempre uma hora, e mesmo assim na hora de ponta é mais rápido ir de transportes do que de carro.

De carro pode-se demorar ainda mais do que uma hora, depende do trânsito.

S: A faculdade do Martim é mesmo no centro, na Alameda, mas mesmo que moro num dos limites da cidade… Que moro?

Que estudo!

Num dos limites da cidade, que é Benfica, também demoro mais ou menos uma hora de transportes, transportes públicos.

Se fosse de carro ia demorar o mesmo ou até mais, porque de Oeiras mesmo indo pela auto-estrada com trânsito demora-se muito tempo.

Mas temos de dizer que o Martim vai para Lisboa todos os dias mas tem a mesma instituição e o mesmo curso em Oeiras.

Porque é que não ficaste cá, afinal, a estudar?

M: Porque gosto bastante mais de Lisboa do que de Oeiras.

E pronto, já moro há imenso tempo em Oeiras, por isso gosto de mudar de ares.

E além disso o técnico da alameda tem mais prestígio ou é mais conhecido do que o de Oeiras.

S: Sim, na verdade o instituto superior técnico é uma das melhores faculdades de engenharia, porque para além de ser bastante antiga tem uma grande tradição nessa área.

Por outro lado a Alameda é muito central em Lisboa também por ser onde está localizado o instituto superior técnico.

Porque muita gente estuda lá e muita gente trabalha lá

M: E muitas empresas se formaram à volta do técnico por causa disso.

S: sim, mas a zona mais empresarial de Lisboa é… Quê?

As Amoreiras?

Ao pé do Marquês de Pombal que é uma praça… Mas há coisas bem mais bonitas para ver em Lisboa.

O que é que tu aconselhavas a ver, Martim?

M: Aconselhava as pessoas a verem o castelo, Belém…

S: Mas pronto, a verdade é que Lisboa é uma cidade muito bonita: com muito sol, com muitos sítios para ver, com o rio, com monumentos… Mesmo as pessoas: as pessoas são bonitas e bem-dispostas, por isso… Mas acho que quem quiser conhecer Lisboa a sério não é com este podcast, obviamente, tem é que vir a Lisboa e comprovar a beleza da cidade com os seus próprios olhos.

Bem, nós vamos ficar por aqui, acho que já falámos de mais e se quiserem depois podem ter a transcrição no site W W W ponto portugueseLINGQ ponto COM (www.portugueselingq.com).

E eu volto com mais um podcast para a semana.

Tchau!

M: Tchau!

Leave a Comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s