Ana-Paula, mother and IT expert

Want to study this episode as a lesson on LingQ? Give it a try!

Steve talks to Ana-Paula, a professor in IT and a mother of twins from Belo Horizonte, Brazil. Apologies for Steve’s poor Portuguese but he is determined to improve. (Steve conversa com Ana Paula, uma professora de IT e mãe de gémeos em Belo Horizonte no Brasil. Desculpas pelo português do Steve, entretanto ele está determinado a melhorar).

Steve: Bom dia, Ana.

Ana: Bom dia, Steve.

S- Como está, estás?

A- Estou muito bem, e você?

S- Estou muito bem, muito bem, obrigado.

Aqui em Canadá é “amanhã”.

E você em Brasil?

A- Você esta dizendo que no Canadá é de manhã.

Aqui no Brasil são dez para as três da tarde.

S- Ah.

O que está fazendo?

A – Eu estava fazendo alguns backups de alguns materiais que tenho, porque vou ter de formatar o meu computador.

S – Você gosta de trabalhar com o computador?

A – Eu gosto de trabalhar com o computador, na verdade eu sou professora de um curso de ciências da computação, então eu, o meu trabalho é com o computador e é sobre o computador

S- E quando você é … estudar, trabalhar com o computador?

A- Desculpe, eu não entendi a sua pergunta.

S – Quando, em que tempo.

Em que idade você … trabalhar, utilizar com o computador?

A- em que idade?

S- Em que idade “tiene” (espanhol).

“Empezar” é espanhol.

Em português é começar.

S- Em protuguês é?

Começar.

S – Começar, começar.

Ok.

Quando começar (conjugação correcta: começou) a utilizar o computador?

A – Eu tive o primeiro contacto mais ou menos aos doze, treze anos, mas depois disso eu fiquei muitos anos sem mexer com o computador.

Até que eu entrei para a faculdade.

Eu fiz faculdade de física e durante a faculdade eu fiz alguns cursos de programação.

E depois é que eu fui trabalhar com ciências da computação, foi no mestrado que eu comecei.

Eu não sei se você conseguiu entender o que eu falei.

S – Eu entendo, eu não falo muito, mas eu entendo.

Desculpa-me, mas o meu português é muito mau.

A -Muito

S -Como você sabe eu comecei a estudar português na semana passada com audio-livros que eu comprei do Brasil.

é muito agradável.

Eu entendo mas eu falo muito ruim, muito mal.

Mas você é professor de física ou de quê, de que tema?

A – Eu sou formada em física, eu fiz física na faculdade, mas depois eu comecei a trabalhar com ciências da computação.

E o meu mestrado já foi em ciências da computação.

Eu costumo ensinar disciplinas de programação, desenvolvimento de software, e agora no doutorado (português do Brasil.

Doutoramento em português de Portugal) eu estou trabalhando com processamento de imagens.

Se eu falar um pouco mais devagar, não sei se isso melhora ou piora para você.

S – Melhora para mim e também para os alunos do LingQ que podem escutar.

Mas eu… Talvez… Tenhamos estudantes mais avançados e estudantes como eu, principiantes.

Então você pode falar devagar, pode falar rápido, acredito que as duas são boas.

Não importa.

Você também tem muito interesse pelas línguas?

A – Sim, eu gosto de línguas de uma maneira geral, mas sempre fui um pouco freada acho que pelos métodos tradicionais.

Na semana passada eu me lembrei que com oito anos de idade eu pedi para começar a aprender inglês.

Eu pedi aos meus pais.

Eu queria… Não me lembro qual foi a motivação que eu tinha aos oito anos, mas eu queria aprender.

Só que depois de alguns meses, a criança acaba perdendo o interesse, porque os métodos tradicionais são muito chatos mesmo.

E actualmente eu recomecei a trabalhar no inglês, porque com o doutorado a minha necessidade de escrever e falar em inglês aumentou muito.

Eu estava muito restrita ao inglês técnico: eu não conseguia ler um livro, eu não consiga ler um jornal – Eu só conseguia ler artigos técnicos e isso estava-me chateando.

e eu não conseguia também entender quase nada de ouvido.

E eu estou trabalhando há quatro meses com o lingQ e isso já mudou muito.

Eu consigo entender bastante bem o inglês agora ouvindo, né.

Até porque no lingQ se trabalha muito com áudio e eu melhorei bastante o meu vocabulário e bastante a minha escrita.

Essa semana eu escrevi um artigo de quatro páginas que eu acho ficou bastante bom e eu estou bastante satisfeita com isso.

S – Você fala muito bem inglês e escreve muito bem inglês.

A – Obrigada

S – Você tem filhos, filhas?

A -Eu tenho um casal de filhos.

São gémeos.

S- Gémeos?

A- Sim, é uma loucura.

É uma linda loucura.

S- Qual é a idade deles?

Como se diz… Quanto anos tem?

A – Cinco

S – Cinco anos!

Muito trabalho?

A – Sim, muito, muito.

Ninguém que não tenha gémeos pode imaginar a quantidade de trabalho que eles dão.

S- Vais continuar com mais crianças?

A -Se eu quero ter mais filhos?

Não, não… Esse é o meu limite.

S – Limite?

Ok.

Em Brasil, a gente aprende inglês e também outra língua?

A gente…

A- As pessoas

S- ..aprende por exemplo espanhol ou francês?

A- O mais comum é o inglês.

Principalmente a classe media é muito ligada a cultura norte-americana, então as pessoas aprendem muito inglês.

Com o mercosul, o governo está tentando colocar espanhol nas escolas públicas, mas isso não foi muito difundido ainda não.

S – Mas se você esta ouvindo, ouve espanhol… você pode compreender, mais ou menos, não é?

A- Eu há poucos anos eu tive na Colômbia a trabalho.

Eu tive muita dificuldade.

Eu achava que era fácil, mas eu tive uma certa dificuldade de entender uma boa parte do que eles diziam.

Há um ano atrás eu tive de estudar um pouco espanhol por conta do douturado.

Eu tinha de ter duas línguas: então eu estudei intensamente o espanhol, para fazer uma prova e para ter o certificado.

Mas… e eu consigo entender bem melhor o espanhol agora.

Mas o meu espanhol é meio portunhol.

S – Meio portunhol.

Para você é mais fácil entender inglês do que espanhol, agora?

A – Hoje?

Não.

Hoje é o espanhol.

S – Ok.

Bom, muito obrigado por esta discussão.

Desculpa-me pelo meu português, muito, muito limitado.

Mas eu vou conseguir estudar e espero que depois de meio ano poderei falar melhor.

A -Ok

S- Muito obrigado.

Adeus.

A- Adeus

S – Até logo, até la próxima vez.

Se pode dizer?

Ah!

Até à próxima vez.

A -Sim, até à próxima vez.

Informalmente, seria até à próxima.

S- Até à próxima.

Até à próxima.

Muito obrigado.

Adeus.

A- De nada.

Leave a Comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s